Ser emocionalmente competente é criar uma vantagem competitiva.

As 5 principais falhas das chefes
25 de agosto de 2016

Ser emocionalmente competente é criar uma vantagem competitiva.

Quantas vezes você se surpreendeu com reações de seus executivos frente a uma situação-problema? Em alguns momentos você quis acreditar que problemas pessoais deveriam ficar do lado de fora da empresa? Você já se deu conta que algumas decisões, tomadas de impulso dadas às exigências do negócio, poderiam ter tido uma outra orientação? Em alguns momentos você não consegue entender o porquê de alguns comportamentos (seja de ataque constante ou passividade injustificada) emergentes de seus executivos nas reuniões que promove?

Fico demasiada satisfeita ao concluir que boa parte das organizações brasileiras começa a investir no desenvolvimento emocional de seus colaboradores.

A maior parte deles não tem consciência do impacto de suas atitudes, ações e reações na percepção de pessoas e no clima organizacional.

Ajudando as pessoas a regular com sabedoria as competências da criação, intuição e percepção, empresas descobrem as chaves do equilíbrio e fazem a diferença no mercado na hora de enfrentar desafios, se fortalecer perante a concorrência e ganhar em competitividade.

Sabiamente, o que já é bastante comum nos ambientes corporativos dos Estados Unidos, a chamada Realfabetização Emocional, chega no nosso espaço com a certeza de que as emoções não podem ser anuladas, mas devem estar presentes na dose certa, pois sua falta ou excesso pode arruinar todo o processo de tomada de decisão.

Desenvolvendo os componentes da Inteligência Emocional, como autoconhecimento, prática da empatia, saber organizar grupos, negociar soluções, estabelecer ligações pessoais e analisar realisticamente o social, empresas inserem na sua cultura as engrenagens centrais na arte da automotivação e da persistência.

E aos participantes a certeza que aprendendo a atingir um equilíbrio perfeito entre razão e emoção, ser-lhe-á dado a permissão de dar um gigantesco passo para a obtenção do sucesso em todas as áreas de sua vida.

Diretora de Educação Corporativa da Leme Consultoria. Atua há mais de 25 anos como gestora na área de RH. É Psicóloga com extensão em psicodrama e em assessment pela metodologia DISC e Pós-graduada em marketing de negócios com MBA em Gestão de Pessoas pela FGV. Coach com formação e certificação internacional pela ICI e Mentoring com formação e certificação internacional pelo Center for Advanced Coaching. Autora do livro “Um RH Visto de Cima – O que a Alta Administração Espera que Você Saiba para Fazer a Diferença“