Líder Coach: o caminho certo para gerir pessoas!

Confiança e Credibilidade
17 de agosto de 2017
Liderança e Cultura organizacional: a pintura que faltava no cenário corporativo!
24 de setembro de 2017

Líder Coach: o caminho certo para gerir pessoas!

Muito se fala sobre o processo de coaching, mas o que poucos sabem é que sua origem começou há muito tempo e nem sempre se apresentou no formato que vemos no atual campo corporativo. Para você ter uma ideia, caro leitor, a palavra Coaching, que traduzida significa “treinamento”, é originária da língua inglesa e foi usada pela primeira vez na cidade de Kócs, na Hungria, para designar as carruagens da época. Mas somente em 1830, o termo Coach foi usado pela Universidade de Oxford, na Inglaterra, como sinônimo de “tutor particular”, ou seja, aquele que preparava os estudantes para as provas.

Do século 19 para cá, muita coisa mudou… A prática do Coaching – como a concebemos na atualidade – começou a ganhar espaço quando as empresas tomaram uma postura diferenciada e compreenderam a relevância das pessoas para os resultados do negócio. Deu-se, então, uma grande guinada nas instituições: as máquinas que eram consideradas o bem mais valioso das organizações perderam espaço, e das cinzas, como a Fênix, a valorização do capital humano passou alçar voo. Ufa! Que alívio!

Outras mudanças acompanharam a humanidade e uma delas bem marcante foi a Globalização – que veio para quebrar barreiras culturais e tecnológicas, aumentando o grau de concorrência tanto para as empresas quanto para o próprio homem em sua individualidade. Resultado: tornou-se imprescindível tanto para pessoas físicas quanto jurídicas, reconhecer que o investimento contínuo no desenvolvimento de competências havia se tornado um fator de sobrevivência para tudo e todos.

LÍDERES EM DESTAQUE – Mas, por que estamos falando sobre isso? Porque isso impactou na forma em como gerir as pessoas dentro das empresas e fez com que somente os líderes mais eficazes conseguissem se sobressair no mercado. Já os gestores que não acompanharam as mudanças, tornaram-se um “peso”, um verdadeiro fardo para as companhias e perderam espaço. Os líderes que se destacaram, por outro lado, viram-se diante da necessidade de adotar uma postura diferenciada e mais do que chefes democráticos passaram a ser agentes mobilizadores, preocupando-se em formar novos líderes e se focaram no crescimento de cada membro do seu time.

SURGE O LÍDER-COACH – É nesse momento que nasce o personagem do Líder-Coach. O próprio Jack Welch, ex-CEO da General Electric e uma das lideranças mais admiradas do mundo, chegou a comentar sobre a relevância dos líderes corporativos apresentarem um diferencial competitivo. Ele afirmou: “No futuro todos os líderes serão coaches. Quem não desenvolver essa habilidade, automaticamente será descartado pelo mercado”. Esse alerta, vindo de alguém tão expressivo não pode passar despercebido, você concorda?

Mas, como esse Líder-Coach comporta-se no dia a dia? Vamos falar sobre isso, agora… em sua essência, o Líder-Coach surgiu para liberar o potencial humano, através do método investigativo utilizado no Processo de Coaching. Parece complicado? Vamos simplificar?

Na prática, sabemos que o Coaching sempre está voltado à ação e por isso, tira o indivíduo da zona de conforto. O coach trabalha focando-se no presente para o futuro, estimulando o desenvolvimento de competências através de ferramentas e conhecimentos até que o coachee (quem recebe o Coaching) abra-se para a expansão e atinja suas metas. E o Coaching vai mais além: permite que o indivíduo descubra suas potencialidades e, ao mesmo tempo, identifique suas fragilidades, valendo-se sempre do Feedback para que o processo venha a ter êxito e não se torne uma frustração do amanhã.

COM A EQUIPE – E é dessa forma que o Líder-Coach atua: respeitando as individualidades dos liderados, direcionando ações para que o potencial humano flua dia a dia, através de um processo natural e nunca de maneira forçosa. Para realizar seu trabalho, o Líder-Coach não abre mão do Feedback, afinal através desse recurso ele consegue motivar os liderados, apresentando os pontos fortes e as competências que precisam ser trabalhadas, a fim de que seja alcançada a alta performance.

 

Diante da Tomada de Decisão, o Líder-Coach não se intimida. Pelo contrário, ele toma uma postura assertiva, sem deixar abalar-se por fatores estressantes que venham comprometer sua postura. Quando sente dificuldade diante de uma situação, afinal ele também é humano, sabe ouvir aqueles que estão ao seu lado para que seu posicionamento tenha ainda mais respaldo.


UM VISIONÁRIO –
Na perspectiva visionária, o Líder-Coach também trabalha para fortalecer os relacionamentos entre os colaboradores que integram seu time. Nesse sentido, ele estimula o respeito entre as pessoas, elevando a consciência do espírito de equipe, fazendo com que todos trabalhem de forma convergente e atinjam não apenas os objetivos corporativos, mas se sintam parte valiosa do universo em que estão inseridos. E quando as pessoas passam a ter o sentimento de pertencimento, de valorização em relação ao negócio, os resultados são benéficos para ambas as partes: empresa e colaborador.

Agora que você está mais familiarizado com o Líder-Coach, o que me diz em se tornar um? Quer saber qual o primeiro passo para esse desafio? Vamos trocar ideias! Ser tornar um Líder-Coach não fácil, porém, talvez seja a escolha mais importante da sua vida quando realmente entender o impacto de agir em comunhão com um propósito no mundo! Até a próxima!

 

Diretora de Educação Corporativa da Leme Consultoria. Atua há mais de 25 anos como gestora na área de RH. É Psicóloga com extensão em psicodrama e em assessment pela metodologia DISC e Pós-graduada em marketing de negócios com MBA em Gestão de Pessoas pela FGV. Coach com formação e certificação internacional pela ICI e Mentoring com formação e certificação internacional pelo Center for Advanced Coaching. Autora do livro “Um RH Visto de Cima – O que a Alta Administração Espera que Você Saiba para Fazer a Diferença“